O fotógrafo apertador de botão

           Outro dia um cliente me perguntou quanto eu cobrava para fazer umas "fotos simples" para o batizado do filho. E quando a pessoa pergunta o valor de um serviço, já diminuindo o propósito do trabalho, pode ter certeza que é com a intensão de conseguir preço e não o valor atribuído ao serviço. Mesmo sabendo disso, por experiência, enviei o valor do meu trabalho, mesmo tendo a convicção de que o objetivo do cliente era conseguir um apertador de botão de máquina fotográfica em vez de um fotógrafo qualificado.
            Depois de receber o orçamento, talvez acima de suas expectativas, ele perguntou se aquele valor estava incluído o álbum. Então tive a certeza de que não procurava um fotógrafo, e sim um apertador de botão com uma máquina fotográfica grande parecida com uma profissional, pois é assim que dá a impressão de ser um ótimo fotógrafo, e além disso que pudesse "congelar" algumas imagens do batizado para enfim entregá-lo em um CD as fotos digitais. Imediatamente respondi que não incluía álbum naquele valor, entretanto o Estúdio oferecia álbuns de vários modelos a serem produzidos com as fotos digitais. Enviei o orçamento completo. E então de forma indelicada a pessoa manda aquela carinha de espanto. Sabe aquela carinha no whatsapp horrorizada? Não contive minha paciência e escrevi: 
             Você acha que um fotógrafo profissional pode cobrar quanto?
             Um profissional com cursos e experiência há mais de 10 anos em eventos por exemplo, certamente levará mais de um equipamento profissional(flash, lentes e baterias) para que o serviço não tenha imprevistos, não é mesmo? O profissional vai entregar TODAS as fotos digitais tratadas em programas específicos dos quais necessitam de um computador rápido, gastando energia, internet e um bom tempo para processar tantas fotos. Esse profissional vai pegar um carro para o deslocamento até o seu evento, e também vai transportar equipamentos caros e por isso vai contratar um seguro contra furto e roubo protegendo o carro e os equipamentos, não é isso?

            Então se a pessoa acha que o valor do profissional está alto demais, talvez o que você ela precisa não seja um fotógrafo e sim um mero apertador de botão. Porque somente um apertador de botão se sujeita cobrar um valor baixo para colocar uma câmera “semi-profissional” de baixo custo, no modo automático, e sair apertando o botão desesperadamente a fim de conseguir “salvar” algumas fotos e finalmente entregar ao cliente aquele trabalho medíocre realizado. É simples, quanto menor o valor do serviço, menor será o valor do investimento dedicado àquele serviço. Não tem mágica.
             Naturalmente com a crise econômica e a popularização dos equipamentos eletrônicos no país, cresceu o mercado de apertadores de botão na fotografia. Pessoas que perderam seus empregos estão se encontrando nesse trabalho “ridiculamente fácil” que é apertar o botão disparador da câmera fotográfica. É simples, compra-se uma máquina boa achando que ela fará milagres automaticamente, faz-se um cursinho de fotografia ou uma vídeo aula e já estão prontos para o mercado. Prontos para apertarem o botão desesperadamente enquanto as pessoas sorriem alegremente. E dessa forma, cada vez mais clientes procurarão os apertadores de botão para fazerem de suas “festas simples” mais ínfimo ainda.

Nada contra as festas simples. Quem tem bom gosto sabe fazer uma festa simples tornar-se um registro eternizado para sempre, e sempre com um bom FOTÓGRAFO. 

  • zap
  • Instagram

© desenvolvido por Thiago Francisco

  • zap
  • Instagram